Vamos falar de Ragdolls

Frequentemente citado como o gato mais popular do mundo, o Ragdoll é extremamente completo. Além de ser uma raça excecionalmente bonita, com os seus enormes olhos azuis-bebé, pelagem exuberante e patas aveludadas, também é uma das maiores, tornando este gato bastante atraente. Animais muito inteligentes, os Ragdolls também são descontraídos, dóceis e sociáveis, além de muito afetuosos. Até o nome deles deriva de serem tão flexíveis e relaxados quando lhes pegam

Nome oficial: Ragdoll

Origens: EUA

Imagem a preto e branco de um Ragdoll sentado com uma pata para cima
  • 3 out of 5
  • 3 out of 5
  • 2 out of 5
  • 2 out of 5
  • 5 out of 5
  • 4 out of 5
  • 5 out of 5
  • 2 out of 5
  • 2 out of 5
* Aconselhamos a não deixar os animais de estimação sozinhos por longos períodos de tempo. A companhia pode evitar problemas emocionais e um comportamento destrutivo. Fale com o seu médico veterinário para obter recomendações. Cada animal de estimação é diferente, mesmo que pertença a uma raça; o resumo das especificidades desta raça deve ser considerado apenas como um indicador. Para ter um animal de estimação feliz, saudável e bem comportado, recomendamos que o treine e socialize e que supra as necessidades básicas de bem-estar, bem como as necessidades sociais e comportamentais do animal. Os animais de estimação nunca devem ser deixados sem supervisão com uma criança. Entre em contacto com o criador ou o médico veterinário para obter mais conselhos. Todos os animais de estimação domésticos são sociáveis e preferem ter companhia. No entanto, podem ser ensinados a lidar com a solidão desde tenra idade. Consulte o médico veterinário ou o treinador para que o ajude a consegui-lo.
Ilustração de um Ragdoll em pé
23 - 28 cm23 - 28 cm
5 - 9 kg4 - 6 kg
de 4 a 12 meses12 meses a 7 anos
7 anos a 12 anosA partir de 12 anos
Ragdoll a espreitar por detrás de uma árvore
1/7

Fique a conhecer o Ragdoll

Tudo o que precisa de saber sobre a raça

O Ragdoll é um gato que realmente parece ter tudo. Não só é belo, como é também inteligente, e tem uma abordagem descontraída e afável a praticamente tudo. O Ragdoll tem também uma boa esperança de vida, muitas vezes gozando de ótima saúde até ao final da adolescência.

E, no entanto, como raça, não é das mais antigas. Desenvolvido apenas na década de 60 do século XX, nos Estados Unidos, o Ragdoll é uma adição relativamente nova ao mundo felino. No entanto, nesse curto período de tempo, tornou-se num dos gatos mais populares.

Sendo uma das maiores raças domesticadas de gatos, a fêmea pode atingir até 6 kg e o macho 9 kg. Contudo, e apesar do tamanho semelhante a uma estátua do Ragdoll, não é uma raça especialmente enérgica sendo até bastante sossegada, como tal, enquadra-se bem na maioria dos ambientes caseiros. São também conhecidos pela sua atitude afável para com crianças e outros animais.

Além do seu tamanho real, a pelagem felpuda de 'pelúcia', e o respetivo subpelo, podem fazê-los parecer ainda maiores do que são. Com padrões muito variados, as cores do Ragdoll podem incluir chocolate, lilás e creme, castanho-escuro, azul e vermelho. No entanto, enquanto raça com coloração nas pontas, é comum terem marcas mais escuras nas extremidades.

Ragdoll em pé junto a uma parede a olhar o horizonte
2/7

Dois factos sobre Ragdolls

1. O Gato das Botas

Entre as muitas variações de cores da raça Ragdoll, uma delas é terem as quatro patas em branco. Este traço tão distinto causa impacto de tal forma que os animais com estas marcas têm o seu próprio nome: os Mitted Ragdoll.

2. Um gato que parece um cão 

Muitas vezes descrito como muito parecido com um cão em termos de personalidade, o Ragdoll exibe uma série de características comportamentais que são geralmente associadas a caninos. Além de adorar buscar objetos, o Ragdoll irá segui-lo de sala em sala e até recebê-lo à porta de casa, quando regressar a casa.

Retrato a preto e branco de um Ragdoll
3/7

História da raça

Oriundo da Califórnia, e conhecido pelo seu estilo de vida relaxado e descontraído, talvez não seja de admirar que o Ragdoll tenha uma atitude tão despreocupada para com a vida. Tudo começou na década de 60 do século XX, quando uma criadora local chamada Ann Baker decidiu cruzar a sua gata Longhair doméstica branca, Josephine, com um macho Seal Point (que se acredita ter sido cruzado com um Birmanês), e também com um gato de um tom preto retinto. Curiosamente, todos estes tinham sido animais vadios.

Por qualquer razão, a prole resultante era tão dócil de temperamento que Ann Baker decidiu tentar desenvolver uma raça. E por causa da forma como ficavam "moles" ao serem pegados ao colo, por se sentirem tão confortáveis com o contacto humano, ela decidiu nomear essa nova variedade de "Ragdoll" (boneca de trapos).

Mais tarde, na década de 70 do século XX, outros criadores, em especial Denny e Laura Dayton, desenvolveram a raça um pouco mais. O objetivo era formalizar a situação e tornar o Ragdoll numa raça reconhecida oficialmente. No entanto, só no início da década de 90 do século XX é que a Cat Fanciers Association (CFA), o maior instituição de registo de gatos com pedigree, começou a aceitar o Ragdoll, atribuindo-lhe um reconhecimento absoluto em 2000.

Contudo, o Ragdoll compensou certamente o tempo perdido. De acordo com a CFA, foi a raça mais popular do mundo em 2020. Esse também foi o segundo ano consecutivo em que conquistou o título de "Top Cat" (Melhor Gato).

4/7

Da cabeça à cauda

Características físicas dos Ragdolls

1
2
3
4
5

1.Cabeça

A cabeça é bem proporcionada, as orelhas médias e os olhos grandes, ovais e azuis.

2.Pelagem

A densa pelagem é constituída por uma camada inferior fina, que é espessa e sedosa.

3.Cor

As cores podem ser muito variadas e incluem chocolate, lilás e creme, castanho-escuro azul e vermelho.

4.Corpo

O corpo é grande, embora não particularmente ágil, com pernas médias e patas redondas grandes.

5.Cauda

A cauda é longa com uma plumagem plena e muitas vezes tufada na extremidade.
Retrato a preto e branco de um Ragdoll
5/7

Aspetos a ter em consideração

Desde traços específicos da raça a uma perspetiva geral sobre a sua saúde, eis alguns factos interessantes sobre o Ragdoll

É importante fazer um controlo rigoroso do peso destes animais

Devido à sua estatura considerável e longo período crescimento, os gatos Ragdoll podem, por vezes, ter problemas com as articulações e os ossos. Os sintomas indicadores disso são uma marcha anormal, com claudicação evidente ou sinais mais gerais de desconforto. As boas notícias é que os problemas podem ser largamente evitados se estes animais tiverem uma alimentação com uma dieta de elevada qualidade, que promova um crescimento saudável, e mantiverem o peso controlado. Como sempre, siga as diretrizes nas embalagens de alimentos e assegure-se de que praticam exercício físico diário suficiente. Além disso, nada de lanches pouco saudáveis entre as refeições.

Podem ter propensão para problemas na boca

Tal como muitas raças, os gatos Ragdoll também podem sofrer de problemas gengivais e dentários. Estes tendem a ocorrer se deixar acumular a placa na superfície dos dentes. Isto pode induzir uma reação inflamatória ao nível da gengiva (gengivite) e, se evoluir para tártaro, pode resultar numa inflamação das estruturas de suporte dos dentes (doença periodontal). Os sintomas podem incluir gengivas vermelhas, dores e mau hálito, e, em casos graves, as toxinas resultantes podem causar danos aos órgãos. Como sempre, é melhor prevenir do que remediar, por isso, uma escovagem diária e check-ups regulares são essenciais. Além disso, alimentar o seu gato com uma dieta especial que promova a saúde dentária irá certamente ajudar. A ação do croquete contra os dentes removerá um pouco da placa e os quelantes de cálcio impedirão a formação do tártaro.

Estes animais podem ter uma predisposição para problemas cardíacos

Os gatos Ragdoll estão entre as raças com maior predisposição genética para algo chamado "cardiomiopatia hipertrófica". Este problema cardíaco ocorre independentemente de outras doenças cardíacas ou perturbações sistémicas e causa um espessamento das paredes dos ventrículos. O impacto na função cardíaca normal varia, mas os gatos afetados podem desenvolver problemas que vão desde a intolerância ao exercício físico a um prognóstico mais grave. Como sempre, mais vale prevenir do que remediar, por isso, aconselhe-se com o seu médico veterinário. O diagnóstico pode ser feito utilizando várias técnicas, além de um teste de ADN que também está disponível. Além disso, se estiver a pensar em ter um gatinho Ragdoll, não deixe de pedir o boletim de saúde dos progenitores.

O seu médico veterinário poderá igualmente falar sobre o controlo do peso do seu Labrador como medida preventiva. Estas ferramentas simples podem ajudá-lo a manter sob controlo o aparecimento de potenciais problemas.

Dieta saudável, gato mais saudável

A nutrição saudável personalizada tem um papel fundamental a desempenhar na manutenção da saúde e da beleza dos gatos Ragdoll. A comida fornece energia para desempenhar as funções vitais e uma fórmula nutricional completa para os Ragdolls deve conter um equilíbrio adaptado de nutrientes. Ao alimentá-los assim, irá proporcionar uma dieta que não é nem deficiente nem excessiva. As dietas deficientes ou excessivas podem ter efeitos adversos na saúde do seu gato.

Deve disponibilizar sempre água doce e limpa para promover uma boa regularidade urinária. Os gatos também estão naturalmente adaptados a comer porções pequenas, entre 7 a 10 vezes ao dia. Se der ao seu gato Ragdoll a ração diária recomendada de croquetes uma vez por dia, ajudará a que o seu gato regule o próprio consumo.

As seguintes recomendações destinam-se a animais saudáveis. Se o seu gato tiver problemas de saúde, consulte o médico veterinário que poderá prescrever uma dieta veterinária exclusiva.

O crescimento é uma fase essencial na vida de um gatinho. É um momento de grandes mudanças, descobertas e novos encontros. Quando se trata de necessidades em termos de energia, proteínas, minerais e vitaminas, um gatinho Ragdoll tem necessidades muito maiores do que um gato adulto. Precisa de energia e nutrientes para manter o seu corpo, mas também para crescer e formá-lo. O crescimento de um gatinho faz-se em duas fases:

Construção - Do nascimento aos 4 meses:

A fase de desmame é a transição que um gatinho faz de alimentos líquidos, ou leite materno, para alimentos sólidos. Este período corresponde naturalmente ao momento em que os dentes de leite nascem, entre as 3 e as 6 semanas de idade. Nesta fase, os gatinhos ainda não são capazes de mastigar, por isso, uma refeição leve (croquetes reidratados ou alimentos húmidos adaptados) contribui para facilitar a transição entre líquidos e sólidos.

Entre as 4 e as 12 semanas após o nascimento, a imunidade natural que um gatinho recebe do colostro da mãe (ou seja, o primeiro leite) diminui à medida que o sistema imunitário do gatinho se desenvolve gradualmente. Este momento crítico, denominado período de fragilidade imunitária, requer um complexo de antioxidantes, que inclua vitamina E, que ajude a promover as suas defesas naturais.

Os gatinhos passam por um período de crescimento intenso e particularmente delicado durante o qual apresentam uma predisposição para problemas digestivos. A sua dieta nesta fase deve não só ser rica em energia para atender às suas necessidades essenciais de crescimento, como também conter proteína de elevada digestibilidade para o seu aparelho digestivo que ainda está em amadurecimento. Os prebióticos, como os frutoligossacarídeos, podem igualmente promover a saúde digestiva, contribuindo para o equilíbrio da flora intestinal. O resultado? Boa qualidade fecal, de uma forma geral.

A alimentação do gatinho deve conter ácidos gordos ómega 3 (EPA-DHA) que ajudam a promover o desenvolvimento neurocerebral adequado.

Consolidação e harmonização - Dos 4 aos 12 meses:

A partir do quarto mês, o crescimento de um gatinho abranda, por isso, recomenda-se a ingestão de alimentos com um teor de gorduras mais baixo. Isto é particularmente importante depois de um gato ser esterilizado.

Entre os 4 e os 7 meses, os dentes de leite de um gatinho caem e são substituídos por dentes permanentes. Quando surgir a dentição da fase adulta, os gatinhos devem comer croquetes suficientemente grandes para que sejam incentivados a mastigar.

Até aos 12 meses, o sistema imunitário dos gatinhos Ragdoll ainda está gradualmente a desenvolver-se. Um complexo de antioxidantes, que inclua vitamina E, pode ajudar a promover as suas defesas naturais durante este período de grandes mudanças, descobertas e novos encontros.

O aparelho digestivo amadurece progressivamente, atingindo a plena maturidade em termos de aptidão digestiva por volta dos doze meses de idade. O gato torna-se, então, capaz de consumir alimentos para adultos.

Além de manter uma função urinária saudável, tal como para todos os gatos, os principais objetivos nutricionais para os Ragdolls adultos são:

Ajudar a preservar a saúde da pele e a beleza da sua impressionante pelagem suave e sedosa, com a adição enriquecida de nutrientes direcionados como aminoácidos, vitaminas e ácidos gordos ómega-3 e ómega-6

Manter ossos e articulações saudáveis, sem excesso de calorias

Ajudar a manter uma função cardíaca saudável com nutrientes como taurina, EPA e DHA

Contribuir para uma boa higiene oral, graças a uma forma de croquete adaptada ao tamanho pequeno a médio do focinho e a uma textura que induz a mastigação.

Um gato sénior, ou seja, com mais de 12 anos, pode, por vezes, ter dificuldades ao nível da absorção. Para manter o peso de um gato idoso e minimizar o risco de sofrer de uma alimentação deficiente, deve ser-lhe dada comida altamente digerível e repleta de nutrientes essenciais.

À medida que envelhecem, os gatos sofrem cada vez mais de problemas dentários e, nalguns gatos sénior, o paladar e o olfato também podem diminuir, o que pode levar a uma menor ingestão de alimentos. Para garantir que continuam a comer o suficiente, a forma, o tamanho e a dureza, ou seja, a textura dos croquetes, devem ser adaptados aos seus maxilares agora potencialmente mais frágeis.

Note que o melhor nível de energia para qualquer gato continua a depender do seu estilo de vida, mesmo quando envelhece. Um gato sénior que continua a sair regularmente beneficiará de uma dieta com um teor de gordura ligeiramente maior. Por outro lado, o envelhecimento não reduz o risco de obesidade num gato de interior. A sua ingestão de calorias deve continuar a ser monitorizada de perto. Um alimento com um teor moderado de gordura poderá ser o ideal.

High-quality protein. Contrary to a widely held misconception, lowering the protein content in food brings little benefit in limiting kidney failure. On top of it, older dogs are less efficient at using dietary protein than younger dogs. Reducing the phosphorus content is a good way of slowing down the gradual deterioration of kidney function

A higher proportion of the trace elements iron, copper, zinc, and manganese to help maintain good condition of the skin and coat.

A higher quantity of polyunsaturated fatty acids (omega-3 and omega-6 fatty acids) to maintain the quality of the coat. Dogs can normally produce these fatty acids, but ageing can affect this physiological process.

As they age, dogs increasingly suffer from teeth problems. To ensure they continue to eat in sufficient quantities, the size, shape, and texture of their kibble need to be tailored to their jaw. An adapted kibble shape may help reduce the rate of food intake to help your dog maintain a healthy body weight.

Ragdoll a passear perto de uma árvore
6/7

Cuidar do seu Ragdoll

Limpeza, treino e dicas de exercício

No que toca ao exercício, é importante chegar ao equilíbrio certo com os gatos Ragdoll. Por um lado, o seu tamanho grande implica que precisam de praticar uma quantidade moderada de exercício físico diário e também de manter o peso sob controlo. Por outro, os Ragdolls não são os animais mais ágeis, podendo ser um pouco descoordenados por vezes. Por isso, se decidir investir num arranhador em forma de árvore, por exemplo, é importante optar por um que tenha degraus largos e não seja muito alto. Disponibilizar muitas oportunidades para brincadeiras ativas ao nível do solo é geralmente a melhor maneira de mantê-los em forma. Outra coisa a ter em mente com o gato Ragdoll é que pode ser difícil identificar o crescimento da cintura por baixo da sua espessa pelagem. Como tal, é aconselhável pesá-los numa balança de vez em quando. Tal como lhes é característico, não levantarão objeções.

Pode constituir uma surpresa que os gatos Ragdoll não atinjam o tamanho máximo e total desenvolvimento da pelagem até os quatro anos de idade. Quando o fazem, o gato Ragdoll adulto tem uma pelagem volumosa e espessa, com uma textura sedosa que às vezes é comparada à de um coelho. Como têm pouco subpelo, o seu pelo tem menos propensão para criar nós, contudo, ainda assim precisam de ser escovados ou penteados, pelo menos, uma ou duas vezes por semana para remover pelo morto. Isso é especialmente importante na época sazonal de perda de pelo do gato Ragdoll. Uma das questões mais frequentes é qual o procedimento para tirar nós do pelo do gato Ragdoll. O truque é trabalhar com cuidado usando um pente de dentes largos e, se necessário, use um pouquinho de óleo de coco para soltar o pelo. No entanto, se assim for, precisarão de um banho logo a seguir. Além disso, as orelhas devem ser verificadas regularmente, as unhas cortadas sempre que necessário e os dentes escovados diariamente, se o conseguir.

Dada a natureza carinhosa da raça, os gatinhos Ragdoll responderão sempre melhor ao reforço positivo. Animais extremamente inteligentes, rapidamente aprenderão a usar a caixa de areia e o poste arranhador, etc. Conforme seja a personalidade do seu gato Ragdoll, este poderá inclusivamente aprender a jogar jogos como o de buscar objetos. São igualmente uma boa escolha no que respeita a gatos se tiver outros animais, pois geralmente dão-se bem com outros animais domésticos. No entanto, a sua natureza confiante implica que devam ser apresentados com cuidado adicional a quaisquer gatos ou cães que já tenha, pois estes podem não estar preparados para receber um estranho no seu território. Por esta mesma razão e também porque podem ser um pouco desajeitados, os tutores, às vezes, optam por manter os gatos Ragdoll em espaços interiores.

7/7

Tudo sobre Ragdolls

Fontes
  1. Veterinary Centers of America https://vcahospitals.com/
  2. Enciclopédia de Gatos da Royal Canin. Ed. 2010 e 2020
  3. Banfield Pet Hospital https://www.banfield.com/
  4. Livro de Produtos BHN da Royal Canin

Curtir e compartilhar esta página