Como ajudar cães e gatos a viver uma vida mais saudável.

Como preparar o filhote para a primeira visita ao médico-veterinário

Gato filhote sentando em uma mesa de exame enquanto é examinado por um médico-veterinário.
Talvez você já esteja acostumado com o processo de levar pets ao médico-veterinário, mas, se não estiver, valerá a pena passar algum tempo entendendo o processo e como fazer para garantir que o filhote esteja o mais confortável possível.

Talvez você já esteja acostumado com o processo de levar pets ao médico-veterinário, mas, se não estiver, valerá a pena passar algum tempo entendendo o processo e como fazer para garantir que o filhote esteja o mais confortável possível.

Como fazer para escolher o médico-veterinário do filhote

Ao pegar inicialmente o filhote, você pode ter sido orientado a continuar o levando ao mesmo médico-veterinário. Se isso não for possível, independentemente do motivo, você precisará escolher uma clínica para seu pet.

Os aspectos a serem considerados na escolha de um novo médico-veterinário são:

  • A reputação clínica local
  • A que distância fica de casa
  • Como fazer para chegar lá
  • Se é possível estacionar facilmente
  • Se a clínica é limpa e bem mantida
  • Se os registros do pet são mantidos atualizados
  • Se eles enviam lembretes para vacinações em check-ups de saúde
  • Quais programas de medicina preventiva eles têm em vigor
  • O padrão e a variedade de equipamentos que eles têm
  • Como eles organizam serviços de emergência ou fora do horário comercial
  • Se eles oferecem conselhos nutricionais para seu pet
  • Se a abordagem é indicada para as necessidades do gato

Já há algum tempo, os profissionais especialmente atentos às necessidades especiais dos gatos adotaram uma abordagem "cat friendly”. Essas clínicas foram projetadas pensando nas necessidades dos gatos, com horários de cirurgia ou áreas especiais de espera apenas para gatos. Existem dispensadores de feromônios calmantes, iluminação difusa, uma atmosfera calma e uma abordagem especialmente paciente e atenciosa. Todos esses elementos permitem que médicos-veterinários, tutores e gatos tenham uma consulta ou recebam um tratamento em condições ideais.

Quando os gatos estão realmente não cooperativos, ou talvez até agressivos, durante visitas ao médico-veterinário, é porque estão assustados e não têm outra maneira de lidar com as “ameaças” pelas quais se sentem atacados.

O que fazer antes da visita do filhote ao médico-veterinário

O médico-veterinário achará suas informações, como tutor do gato, muito úteis para decidir quais vacinações são necessárias.

Antes da visita, consulte o livro de registros de saúde do gato. Pode ser útil escrever algumas informações, como a dieta do gato (marca, quantidade etc.), hábitos de bebida, ambiente e se você notou qualquer mudança alimentar, digestiva ou comportamental.

Manter um registro por escrito do histórico de saúde do gato e tratamentos anteriores pode ser muito útil – o ideal é mantê-lo na pasta de saúde.

Como transportar o filhote para o médico-veterinário

Por motivos de segurança, o gato deve viajar em uma caixa especialmente projetada. O ideal é que esse seja um objeto familiar para o filhote. Para facilitar as coisas, se você estiver planejando uma visita ao médico-veterinário em breve, leve a caixa de transporte alguns dias antes da consulta e a deixe aberta em um canto da casa aonde o filhote gosta de ir.

Você pode borrifar feromônios calmantes e colocar uma manta dentro que já tenha o cheiro do gato – isso vai ajudar o filhote a se acostumar com a caixa e se sentir seguro, protegido de olhares indiscretos. Se a gaiola tiver um lado aberto, cubra-a com uma manta ou uma toalha para que fique menos exposta.

Como fazer para manipular o filhote na clínica veterinária

Para limitar o impacto de uma visita ao médico-veterinário, existem algumas dicas úteis que você pode seguir:

  • Na sala de espera, deixe o gato no cesto e a coloque sobre uma superfície elevada como uma cadeira.
  • Tente não fazer movimentos bruscos e tire o gato gentilmente para colocá-lo sobre a mesa de exame.    
  • Alguns gatos se sentem seguros na gaiola. Se esse for o caso, retire a parte superior, de maneira que o médico-veterinário possa alcançar o animal.
  • Converse com o gato com uma voz suave e mantenha a calma. Se você estiver agitado, o gato vai sentir isso, e ele ficará ainda mais estressado.
  • Você pode confiar nos profissionais: a equipe do médico-veterinário está acostumada a lidar com gatos, mesmo com os menos cooperativos. Se você tentar intervir, não apenas atrapalhará, mas também poderá se machucar.
  • Alguns médicos-veterinários atendem em domicílio. Neste caso, tranque o gato em apenas uma sala, de preferência sem muitos esconderijos. Porém, lembre-se de que algumas visitas certamente exigirão que você e o gato visitem a clínica.
  • Um gato assustado poderá piorar ainda mais uma condição, especialmente se ele tiver problemas respiratórios ou tiver sofrido um acidente. Manter a calma, tranquilizar o gato acariciando e usando uma voz suave é a melhor abordagem aqui.
  • Se o gato precisar ser hospitalizado, escolha um lugar que leve em conta as necessidades específicas dos gatos, se possível. Se a visita foi planejada com antecedência, você normalmente pode levar a almofada ou a manta favorita do gato, ou até mesmo uma peça de roupa que você tenha usado e que consequentemente será misturada com o seu cheiro.
Gato filhote sentando em uma mesa de exame enquanto é examinado por um médico-veterinário.

Voltando para casa do centro veterinário

Na maioria das vezes, os gatos ficam contentes por estar de volta ao seu ambiente familiar. Quando você voltar da clínica veterinária, deixe o seu gato se acomodar calmamente.

Os gatos (se forem saudáveis o suficiente para isso) certamente vão querer ter certeza de que a mobília não foi movida, que o jardim ainda está lá e que a caixa de areia é realmente deles.

Muitas vezes eles inspecionam seus lugares favoritos e deixam seu odor esfregando a testa ou afiando as garras.

No entanto, em casas com vários gatos, você precisará tomar algumas precauções para ter um retorno feliz e sereno à comunidade felina.

Como reintroduzir o seu filhote ao ambiente com outros animais de estimação

Em grupos bem estabelecidos de gatos, cada um conhece os outros e, regularmente, eles trocam assinaturas olfativas.

Pode acontecer que um gato deixe o grupo temporariamente e, quando voltar para a casa, não seja mais reconhecido por um ou todos os seus colegas gatos, o que pode causar ansiedade ou até mesmo brigas.

Portanto, é necessário tomar certas precauções quando o viajante voltar para casa.

Essas precauções também podem ser usadas ao apresentar um novato pela primeira vez, seja qual for a espécie:

  • Antes de mais nada, garanta que a atmosfera da casa seja pacífica, pulverizando feromônios sintéticos.
  • Para que o novato tenha um cheiro “local”, você pode esfregá-lo com um pedaço de pano infundido com o odor de um gato que não saiu da casa.
  • Se possível, coloque um cobertor usado por gatos que não tenham saído na caixa de transporte. Assim, o gato que voltar ao lar reconhece o odor dos seus companheiros.

Um encontro estressante antes, durante ou depois de uma visita ao veterinário pode deixar uma impressão duradoura no seu filhote e torná-lo mais resistente a visitas no futuro.

Seguir esses passos simples para garantir que este processo seja calmo e sem estresse significa que o seu gato ficará mais confortável e confiante ao visitar o centro veterinário na vida adulta.

  • Crescimento intenso

Curtir e compartilhar esta página

Nutrição especialmente desenvolvida para o seu filhote

Fórmulas nutricionais que ajudam a dar suporte ao crescimento saudável e auxiliam no desenvolvimento do sistema digestivo.

Saiba mais
Linha de alimentos Kitten - especialmente desenvolvida para filhotes de gato.
Artigos relacionados
Kitten cat sitting indoors by an orange food bowl.

Como alimentar filhotes

Two kitten cats one lying down one standing up playing with each other indoors with a brown dog lying down behind.

Dicas para treinar um filhote de gato

Kitten cats walking outdoors in long grass.

5 marcos-chave no crescimento do filhote