Fundação Royal Canin

Os gatos e os cães têm um lugar especial no nosso coração. Transportam o calor, a ternura e um brilho que alegra as nossas vidas. Mas há mais. Também nos ajudam a enfrentar o mundo e os seus muitos desafios. Basta pensar, por exemplo, nos cães-guia, nos gatos de terapia e nos cães que detetam o cancro.

A Fundação Royal Canin foi criada no dia 8 de dezembro de 2020 para demonstrar que os gatos e os cães têm um lugar especial na sociedade, apoiando projetos-chave que tornam o mundo mais agradável e amável para pessoas e animais de estimação.

"Queríamos destacar os muitos benefícios que os gatos e cães trazem para as nossas vidas e financiar projetos que apoiam o papel positivo dos animais de estimação na saúde e bem-estar das pessoas", afirmou Fabrice Mathieu, diretor de sustentabilidade e administrador da Fundação Royal Canin.

A Fundação Royal Canin fornece apoio financeiro e organizacional a projectos em todo o mundo, promovendo a contribuição dos animais de companhia para a saúde e o bem-estar humanos. Esses projetos abrangem três áreas principais: a saúde e o bem-estar dos cães de trabalho, animais de estimação ao serviço das pessoas e ao serviço da saúde.
Em 2021, o Conselho da Fundação atribuiu quase 1 milhão de dólares para apoiar mais de 10 projetos escolhidos entre 44 propostos e votados pelos associados da Royal Canin.

  • Deteção do cancro da mama por cães. A Fundação apoia o projecto Kdog do Institut Curie francês, que visa desenvolver uma metodologia clara e eficaz para a deteção do cancro por cães. O cancro da mama tem um odor que os cães conseguem detetar, com uma taxa de sucesso superior a 90% durante os testes. O projecto Kdog visa desenvolver um conjunto de ferramentas científicas com instrumentos e protocolos, formação em certificação e orientações para as comunidades científicas que trabalham no domínio do rastreio médico.
  • Formação certificada para treinadores de cães de deteção médica. Trata-se de um projecto francês e canadiano baseado na capacidade dos cães para detetar doenças humanas graves como o cancro, as crises epilépticas, a doença de Parkinson e a covid-19. As faculdades de veterinária francesas e canadianas, os especialistas que acompanham os treinadores de cães e as universidades de medicina uniram-se para lançar um programa de formação certificado para treinadores de cães de deteção médica, com o objetivo de fornecer uma metodologia normalizada e reunir conhecimentos para esta disciplina. Esta metodologia passará a fazer parte das ferramentas científicas desenvolvidas pelo Institut Curie (França) e estará disponível para qualquer equipa que deseje desenvolver um protocolo de deteção com cães.
  • Treinar cães de deteção médica para identificar a covid-19. A Medical Detection Dogs é uma instituição de caridade registada no Reino Unido que investiga a capacidade dos cães para detetar o odor de doenças humanas. A fundação está a apoiar um projeto para determinar se a covid-19 tem um odor que os cães possam identificar através de treino. O segundo objetivo é ter cães detetores de doenças nos portos de entrada e em espaços públicos para um rastreio rápido e não invasivo da covid-19.
  • Cães para treinar competências de comunicação em crianças com autismo. Na Polónia, a associação Po To Jestem é especializada no treino de cães para terapia assistida por animais e no treino de cães-guia. A associação, com o apoio da fundação, tornará possível a criação de um centro para crianças com perturbações do espectro do autismo, onde estas se possam sentir seguras. Todas as semanas, mais 20 crianças com autismo poderão trabalhar com cães treinados e adquirir competências de comunicação não verbal.

O lançamento da Fundação é uma prova concreta do compromisso da Royal Canin em ser uma organização conduzida por propósitos. O que realmente importa é que os gatos e cães fazem do mundo um lugar melhor.

Descubra mais no site da nossa fundação!