Ajudar os cães e os gatos a terem uma vida mais saudável.

Cuidado com as quedas!

Os gatos que vivem em apartamentos costumam passar muitas horas por dia a dormir. No entanto, nos momentos de atividade, eles põem em prática a sua curiosidade inata. Esta curiosidade pode levá-los a olhar pelas janelas, local onde contemplam o exterior e que não representa qualquer risco quando as mesmas estão fechadas. No entanto, e com a chegada dos primeiros dias de primavera, as janelas são frequentemente abertas, tal como acontece no verão.

Contudo, esta prática pode representar um risco para o nosso gato se a habitação localizar-se em pisos elevados. Por isso, é essencial assegurarmos-nos de que ele não irá cair, por muito que isso nos pareça impossível. Seria impossível cair se um inseto ou pássaro pousasse perto dele e ele tivesse o instinto de caçá-lo? Certamente que não. Como é óbvio, nenhum gato se atira para o vazio sem motivo e pode acontecer que ele simplesmente perca o equilíbrio. Isso pode acontecer mesmo estando habituado a mover-se “na linha de fogo”, porém, o risco é demasiado elevado para não se tomarem medidas.

As lesões que um gato sofre ao cair no vazio dependem de vários fatores, tais como a altura da queda, a superfície onde cai e se encontra algum objeto durante a queda que diminua a sua velocidade. Assim, um gato que cai de uma altura de cinco andares para um pavimento de asfalto, corre um maior risco de sofrer lesões do que outro, cuja queda seja de um segundo andar para um relvado e encontre cordas de estender roupa durante a queda. Mas estas podem também ter um efeito negativo, se produzirem uma mudança de postura ao cair, podendo causar lesões mais graves.

Obviamente que existem lesões características, como fraturas do fémur, dos ossos dos membros anteriores e da mandíbula. São também frequentes roturas da bexiga, traumatismos do baço e dos pulmões, citando apenas alguns.

Como não existe qualquer garantia de que um gato “paraquedista” (chamados assim pelos veterinários, devido à frequência com que os atendem) não se lesione, o melhor é prevenir a queda. Para isso podem utilizar-se métodos de contenção para janelas ou terraços, como malhas ou redes. Estes podem ser feitos em casa ou industrialmente e ter ou não esticadores, mas o importante é que seja eficaz.

Se, apesar de serem tomadas todas as precauções, o gato cair, devemos levá-lo ao veterinário para que ele faça um exame exaustivo, mesmo que ele não apresente lesões. Neste caso, também é essencial que o gato esteja identificado, pois após a queda ele poderá desorientar-se e fugir para um local suficientemente longe, onde não o possamos encontrar.

Por fim, e embora tenhamos sempre falado do exemplo dos gatos que caem no vazio, iremos também falar sobre esses gatos que, com a chegada do bom tempo, têm acesso ao exterior e podem vaguear livremente no seu ambiente, o que também pode representar perigos de todos os tipos. Assim, convidamos-lo a controlar o acesso ao exterior dos gatos que vivem normalmente no interior e, com a chegada do bom tempo, mudam de hábitos.

  • Bem-estar geral

Faça gosto e partilhe esta página

Artigos relacionados

Conselhos para preservar melhor o alimento do seu gato

Cuidado com o calor!

O olfato do gato