Ajudar os cães e os gatos a terem uma vida mais saudável.

As lutas entre os gatos

Como especialistas, dedicamo-nos a tratar problemas de comportamento nos animais de estimação e muitas vezes deparamo-nos com donos que se referem a lutas entre os seus gatos.

Como especialistas, dedicamo-nos a tratar problemas de comportamento nos animais de estimação e muitas vezes deparamo-nos com donos que se referem a lutas entre os seus gatos.

Estas consultas podem dividir-se em dois grupos principais. Por um lado, os casos em que o dono introduziu um gato novo em casa e este ou os gatos moradores não o toleram e, por outro lado, aqueles casos em que dois ou mais gatos que convivem em aparente harmonia começam a dar-se mal e a lutar entre eles, normalmente de forma repentina e muito intensa.

Quanto ao primeiro grupo, já comentámos noutros artigos a razão pela qual isto acontece e quais as medidas que se podem tomar para evitar que a situação se torne incontrolável. No entanto, o que é que acontece entre dois ou mais gatos que aparentemente se dão bem para que se convertam em “inimigos íntimos”?

Não existe uma só causa para explicar estas situações. Em determinadas ocasiões, o problema aparece quando um dos gatos vai ao veterinário ou ao cabeleireiro e volta para casa. Nestes casos, parece que os cheiros novos e estranhos para o outro gato são os desencadeadores, fazendo com que o morador não reconheça o outro gato e comecem as hostilidades.

Outras vezes, o motivo que dá lugar às lutas é algum barulho ou som que se produz em casa. Habitualmente são barulhos agudos, estridentes e fortes, como aqueles que são produzidos por objetos metálicos ou de cristal que caem ou se partem.

Em determinadas ocasiões, o som que origina as disputas procede de um dos gatos,  por exemplo, se algum dos donos pisa um deles e este responde com um miar ou alarido agudo.

Em todos estes casos, o que costuma acontecer é uma reação de medo muito intensa no gato que ouve o barulho e que a dirige em forma de agressividade ao gato que o emite. No caso dos objetos que fazem o barulho, podia dirigir-se para eles, mas provavelmente o gato não está preparado para enfrentar uma jarra ou uma frigideira, de forma que, aquilo que faz é redirecionar o medo e a agressão associada ao indivíduo que tem mais perto e que costuma ser o outro gato. Por isso, este tipo de agressividade é conhecido pelo nome de agressividade redirecionada.

Outras situações que podem dar lugar a lutas, apesar de costumarem ser menos frequentes do que as anteriores, são as visitas a casa, normalmente desconhecidas para o gato; a chegada de animais de outras espécies, por exemplo, cães; a ausência dos donos durante vários dias, por exemplo, devido a umas férias. Em certas ocasiões, este problema aparece durante a visita da pessoa que se encarrega de cuidar dos gatos, enquanto que noutras o problema começa quando os donos regressam de viagem.

Além dos cheiros novos ou estranhos para os gatos, ou o aparecimento de indivíduos com os quais o gato não está perfeitamente sociabilizado, é muito provável que estas situações dêem lugar a uma alteração da convivência quando existem níveis anteriores de stress importante nos gatos.

Saber o motivo porque existe esse stress nos gatos às vezes é fácil e evidente, mas pode requerer um trabalho árduo de investigação por parte do profissional para chegar a uma conclusão acertada.

Gatinho Siberiano deitado num cobertor branco, num espaço interior.

Como vemos, existem diferentes motivos que podem “romper” a relação entre os gatos. Mas, além disso, em função de muitos fatores, essa rotura da relação pode ser de diferente intensidade e mais ou menos duradoura. Todos estes aspetos vão determinar que medidas podem ser as mais adequadas para tentar restabelecer a relação o mais rapidamente possível e conseguir que a paz volte a reinar no lar.

Os meus gatos lutaram, o que é que posso fazer?

Esta pergunta não tem uma resposta universal. Depende da intensidade da luta, de quem a provocou ou de como ficaram os gatos depois da luta, entre outros aspetos.

Lutas pouco intensas

Se a luta entre os gatos não foi demasiado intensa, teve uma curta duração e os gatos pararam por iniciativa própria, podemos tentar que se mantenham a uma certa distância um do outro no mesmo espaço da casa durante pelo menos 30-60 minutos.

É muito importante que estejam tranquilos e possam relaxar durante esse tempo. Para isso, um dos membros da família deve estar com um dos gatos e outro membro com o outro gato. Durante este período, podem fazer-se carícias aos gatos ou determinadas atenções que eles gostem em especial, para que a tensão diminua o quanto antes, e devem evitar-se os movimentos bruscos ou falar em voz alta.

Depois, quando os gatos começarem novamente a passear pela casa, devemos estar atentos a qualquer sinal de tensão, sobretudo aos olhares fixos um ao outro ou aos movimentos lentos e duvidosos de um gato ao passar perto ou ir em direção ao outro gato. Se se observarem estas condutas, com calma, devemos aumentar o espaço entre eles.

Se a luta ocorreu à noite ou antes de irmos trabalhar, pode ser interessante que durmam em quartos separados ou permaneçam em quartos diferentes até voltarmos a casa. Depois poderão estar juntos sob a nossa vigilância para atuamos antes que haja outra luta.

Lutas muito intensas

Se as lutas foram mais intensas, longas ou terminaram porque nos metemos para que se separassem, o melhor é mantê-los separados fisicamente.

Uma coisa que muitos donos não sabem é que nestes pequenos felinos a tensão pode durar horas e às vezes dias, depois de um susto ou, neste caso, depois de uma luta. Por este motivo, recomendo aos meus clientes que mantenham os gatos separados, pelo menos vinte e quatro horas. Se não esperamos este tempo e tentarmos que os gatos estejam juntos de novo, pouco tempo depois do confronto, as probabilidades de que volte a ocorrer uma luta são muito elevadas.

Uma vez passado esse tempo e se observarmos que os gatos se comportam com normalidade, pelo menos com a família, podemos deixar que comecem a ver-se nalgum  lugar da casa diferente daquele onde ocorreu a luta, para evitar possíveis recordações da situação. O ideal é que estes primeiros reencontros sejam breves para diminuir as possibilidades de problemas entre eles.

Como comentámos anteriormente, recomenda-se que haja distância entre os gatos, que não estejam muito juntos, sobretudo em zonas de passagem. Para ajudar a conseguir isto devemos distribuir vários comedouros, bebedouros, areais e lugares de descanso pelas diferentes zonas da casa.Se tudo corre bem, podemos ir prolongando gradualmente os períodos de contacto. Se em algum momento houver uma certa tensão entre os gatos, podemos oferecer um prémio ou jogo tranquilo que distraia a atenção dele sobre o outro animal.

Como devo intervir perante uma luta?

Ainda que possam existir ocasiões em que seja inevitável, não se recomenda tentar separar os gatos com as nossas próprias mãos ou usando os pés. Isto pode causar-nos lesões (às vezes sérias) e, o que é pior, que algum dos gatos nos associe à experiência e que fique tenso ou, inclusivamente, agressivo connosco durante um determinado período de tempo.

O ideal é utilizar uma manta pesada para cobrir os gatos enquanto lutam entre si. Ao ficarem imobilizados pelo peso da manta, é mais provável que consigamos separar pelo menos um dos gatos e levá-lo para outra parte da casa.

 

PABLO HERNÁNDEZ. ETÓLOGO VETERINÁRIO

 

 

  • Treino e comportamento

Faça gosto e partilhe esta página

Nutrição feita à medida para o seu gatinho

Fórmulas nutricionais que ajudam a consolidar as defesas naturais do seu gatinho, apoiam o crescimento saudável e contribuem para o desenvolvimento do aparelho digestivo.

Produtos para gatinho
Kitten product range pack shot
Artigos relacionados
Two kitten cats one lying down one standing up playing with each other indoors with a brown dog lying down behind.

Sugestões para treinar o seu gatinho