O cancro e a quimioterapia em cães

Com o aumento da esperança de vida do cão, a possibilidade de desenvolver um cancro é também maior. Nesse caso, a quimioterapia é uma opção para o seu tratamento.


O cancro é considerado uma doença crónica nos animais, mais vulgar nos espécimes séniores, com deversas possibilidades terapêuticas que visam aumentar a qualidade e a esperança de vida do animal.

Uma das opções é a quimioterapia, ou seja, a administração de fármacos antineoplásicos, para controlar a doença. A quimioterapia pode ser administrada como único tratamento (como no caso da leucemia ou do linfoma) ou combinada com outros tratamentos, como a cirurgia (em tumores de mama ou da pele, por exemplo) e a radioterapia (no caso de alguns tumores inoperáveis).

A quimioterapia veterinária tem apenas alguns efeitos secundários, precisamente porque o seu objetivo é proporcionar qualidade de vida ao paciente. Por isso, as doses utilizadas no cão são pouco tóxicas. Ainda assim, poderão surgir efeitos adversos, tais como a gastroenterite leve, cistite ou diminuição das defesas, embora sejam de pouca relevância e fáceis de ultrapassar.

  • Bem-estar geral
Artigos relacionados

Parasitas internos

Leishmaniose: a doença do mosquito

Adult Beagle running in water.

Manter o seu cão fresco no verão